apoio

Séries de Crescimento

Pouco comuns em coleções particulares, as séries de crescimento são bastante importantes para o estudo das fases de crescimento e transformação que algumas conchas sofrem durante seu desenvolvimento. Este estudo ainda permite que erros sejam cometidos como a descrição de espécies como sendo novas quando na realidade são apenas exemplares jovens.

Para se chegar ao correspondente juvenil, a série é construída de traz para frente. Os espécimes adultos bem conhecidos são o início da série, em seguida lotes de conchas cada vez menores são adicionadas. Assim algumas características que se perdem durante o crescimento, podem ser observadas nos exemplares jovens, identificando claramente a espécie.

Algumas espécies que sofrem muita erosão durante seu crescimento, tem dificultado ou mesmo impossibilitada a observação das fases iniciais da concha, a protoconcha, localizada no apex da concha. Um bom exemplo é o da Charonia variegata, que ao se movimentar arrasta seu apex pelo substrato, causando a perda do mesmo, então é apenas na concha jovem que a protoconcha pode ser observada e estudada.

Algumas espécies quando juvenis, podem parecer espécies que pertencem até a famílias diferentes, como é o caso das Cypraeas. Na Cypraea zebra, ilustrada abaixo, a concha juvenil se parece mais com um Olividae ou até um Marginellidae. Nela também se pode observar a protoconcha, que nas espécies adultas é recoberta pela última volta espiral do corpo.


Cypraea zebra - concha juvenil com 50mm e adulto com 100mm

Cassis tuberosa - juvenil com 21mm e adulto com 240mm

Odontocymbiola americana - juvenil com 13mm e adulto com 70mm

Charonia variegata
- juvenil com 9 mm e adulto com 200mm

Zidona dufresneyi - juvenís com 20mm e 60mm; adulto com 180mm

 

 

Glossário | Referências | Créditos | Copyright

© 2001 - 2020 Conquiliologistas do Brasil